Ouça a notícia

    Reparação do Rio Doce - Oportunidade para pequenos empresários e startups

  • Reparação do Rio Doce - Oportunidade para pequenos empresários e startups

    Fundação Renova, Sebrae e Senai vão selecionar quatro projetos que possam
    contribuir com a recuperação da bacia do Rio Doce. Investimentos serão de R$ 1,1 milhão

    Empreendedores à frente de startups ou de empresas de pequeno e médio porte
    podem desenvolver projetos para ajudar na reparação dos impactos gerados
    pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG). Está aberto o Edital
    de Inovação para a Indústria, iniciativa do Sebrae e Senai em todo o Brasil,
    com participação da Fundação Renova. Por meio dele, micro e pequenas
    empresas e startups poderão receber financiamento para desenvolver ideias e
    projetos que contribuam com as ações de compensação e reparação ao longo do
    rio Doce. As inscrições podem ser feitas até 29 de janeiro de 2018.

    Todo o processo, desde o recebimento dos projetos até o resultado final,
    será acompanhado pelo Senai. A avaliação das propostas será da Renova, que
    vai selecionar quatro projetos. Eles devem ser desenvolvidos para aplicação
    nos municípios atingidos pelo rompimento de Fundão e contemplar os eixos
    Terra e Água, Pessoas e Comunidades ou Reconstrução e Infraestrutura.

    Ao todo, o edital prevê investimento de R$ 1,1 milhão, sendo que R$ 500 mil
    serão desembolsados pela Renova. O restante do valor será dividido entre
    Senai e Sebrae. Dois projetos vão receber R$ 400 mil cada e outros dois, R$
    150 mil.

    Segundo o líder das ações de estímulo à economia local da Fundação Renova,
    Paulo Rocha, diante dos desafios da reparação, a ideia é que produtos e
    serviços possam ser desenvolvidos para superar os obstáculos. A busca por
    soluções pode ser em diversas áreas e não precisa ser necessariamente
    relacionada a um desastre ambiental. O objetivo é que o produto possa ser
    transformado em protótipo, industrializado e, posteriormente, comercializado
    pelo empreendedor.

    Para desenvolver o projeto escolhido, será possível utilizar a estrutura de
    incubação do sistema Sesi/Senai. E o empreendedor, depois, também vai contar
    com assessoria para disponibilizar o novo produto ao mercado. “Assim, o
    empreendedor poderá, com esse negócio, alavancar o seu próprio trabalho e a
    sua renda. E com o produto aplicado às demandas da Fundação Renova, ele
    poderá ser um dos nossos fornecedores, no futuro”, observa Paulo Rocha.

    Imagem: Internet