Ouça a notícia

    Universidade Federal de Viçosa terá atuação em projetos para a recuperação da bacia do Rio Doce

  • Universidade Federal de Viçosa terá atuação em projetos para a recuperação da bacia do Rio Doce

    Acordo de cooperação técnica assinado com a Fundação Renova visa reparar os
    impactos do rompimento da barragem de Fundão nas áreas ambiental e social

    A busca das melhores soluções para a reparação dos impactos causados pelo
    rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), é o foco do acordo de
    cooperação técnica que acaba de ser assinado entre a Fundação Renova e a
    Universidade Federal de Viçosa (UFV). O trabalho de recuperação
    socioeconômica e socioambiental envolve desafios inéditos relacionados a
    manejo de rejeitos, restauração florestal, melhoria da qualidade da água,
    desenvolvimento de economias locais de municípios afetados, entre outros.

    A UFV é a primeira universidade a assinar um acordo de cooperação técnica
    com a Fundação Renova. O acordo é voltado para o desenvolvimento de projetos
    e pesquisas que poderão contribuir para compreender e reparar os impactos
    ambientais e trazer novas perspectivas para a população atingida. O
    documento foi assinado na sede da Fundação Renova, em Belo Horizonte, pela
    reitora Nilda Soares e pelo presidente da Fundação, Roberto Waack.

    Durante a assinatura, Waack disse esperar que esse acordo seja apenas o
    início de uma parceria produtiva. “Temos um longo caminho pela frente e
    contamos com a UFV para construir um legado no enfrentamento desse grande
    desafio.” Para a reitora Nilda Soares, a UFV tem um grande potencial para
    contribuir na minimização dos impactos causados pela tragédia. “Como
    instituição pública, temos o compromisso de atuar estrategicamente na Bacia,
    na recuperação do meio ambiente e no apoio aos atingidos. Esperamos que esse
    acordo contribua para o engajamento da universidade nesse processo e para o
    desenvolvimento da pesquisa científica aplicada”, ressaltou.

    O próximo passo será a contratação de projetos na área ambiental e florestal
    – já em tramitação – e a realização de um workshop para reunir pesquisadores
    e a equipe técnica da Fundação Renova para definição de linhas de pesquisa e
    elaboração de planos de trabalhos. A expectativa é de que o workshop seja
    realizado em fevereiro. Também está previsto um mapeamento de pesquisas já
    existentes na universidade e que possam contribuir com as ações da Fundação
    Renova. Trabalhos relacionados com a microbiologia do solo ou o manejo dos
    rejeitos são exemplos.

    O líder de programa socioambiental da Renova, Lucas Scarascia, afirmou que a
    respeitabilidade da UFV e a localização dela na Bacia do Rio Doce favorecem
    a contribuição para os programas da Fundação. “Há uma grande bagagem
    científica que pode auxiliar em diversos trabalhos não só da área ambiental
    ou de produção agrícola, mas também no que se refere ao desenvolvimento
    social e econômico das regiões impactadas”, observa. “Há uma extensa gama de
    oportunidades que poderão ser aproveitadas na prática”, reforça.

    Segundo o diretor de Relações Institucionais da UFV, Alair Freitas, o acordo
    firmado ampara institucionalmente as relações dos pesquisadores com a
    Fundação sem ferir a autonomia dos projetos que serão firmados. “O acordo
    formaliza a parceria e define o relacionamento entre as instituições,
    servindo de base para a construção de projetos em diversas áreas, de
    recuperação ambiental e reativação econômica de comunidades impactadas”,
    diz.

    Engajamento

    Antes da assinatura, a Diretoria de Relações Institucionais da UFV (RLI)
    promoveu uma série de eventos para reunir pesquisadores com interesse e
    expertise em pesquisas nas áreas focais da Fundação Renova, buscando a
    institucionalização dessa parceria e o engajamento dos interessados.

    Reuniões foram feitas com a presença de mais de 60 pesquisadores para
    compreensão dos programas criados pela Renova e discussão de formas de
    contratação da universidade para pesquisa e extensão. Em um dos eventos, a
    diretora de Desenvolvimento Institucional da Renova, Andrea Azevedo,
    apresentou os interesses da Fundação, os fluxos e normas para apresentação
    de projetos.

    Sobre a Fundação Renova

    A Fundação Renova é uma instituição autônoma e independente constituída para
    reparar os danos causados pelo rompimento da barragem de Fundão. Entidade
    privada, sem fins lucrativos, garante transparência, legitimidade e senso de
    urgência a um processo complexo e de longo prazo. A Fundação foi
    estabelecida por meio de um Termo de Transação e de Ajustamento de Conduta
    (TTAC), assinado entre Samarco, suas acionistas, os governos federal e dos
    estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, além de uma série de
    autarquias, fundações e institutos (como Ibama, Instituto Chico Mendes,
    Agência Nacional de Águas, Instituto Estadual de Florestas, Funai,
    Secretarias de Meio Ambiente, dentre outros), em março de 2016.

    Crédito da foto: Divulgação / UFV